• Carreira
  • Fique por dentro das
    nossas redes sociais

Somos inquietos por natureza. Acreditamos que o nosso papel é contribuir para o aumento da produção de alimentos no mundo. Com uma população que não para de crescer, é fundamental que os produtores agrícolas consigam atender a essa demanda crescente.

A Alta tem o compromisso de ajudar seus clientes na escolha da solução agronômica mais adequada e na utilização responsável dos produtos, de forma a gerar melhorias na produtividade, mas sem deixar de lado a preocupação com a saúde das pessoas e o meio-ambiente.

Acreditamos que a revolução digital na agricultura possibilitará incrementos radicais na produtividade das lavouras e que isso será decisivo para o futuro bem-estar da humanidade.

COMO GARANTIR A SEGURANÇA ALIMENTAR EM UM MUNDO QUE NÃO PARA DE CRESCER?

Nos últimos 50 anos, a revolução tecnológica na agricultura foi capaz de gerar a produtividade necessária para garantir a segurança alimentar das pessoas. Entretanto, atualmente estamos presenciando uma incompatibilidade entre a velocidade do crescimento populacional e a produção de alimentos no mundo. E esse déficit tende a se agravar nos próximos anos, em razão de fatores como a melhoria da renda per capita, que acelera a demanda quantitativa e qualitativa dos alimentos, crescente urbanização, problemas climáticos e restrições de recursos naturais como água e solo. Para que esse déficit seja zerado, a produção de alimentos precisará crescer 80% ao longo das próximas décadas.

Em 2023, somente a China, a Índia e alguns países africanos representarão mais de 50% da população mundial e, para agravar, muitos desses países sofrem com a baixa produtividade agrícola, causada principalmente por fatores climáticos. A falta de chuvas, de fato, é responsável por mais de 80% dos danos e perdas na produção agrícola e pecuária. Assim, milhares de pessoas ficam sem alimentos suficientes e sem fonte de renda para acessá-los no mercado.

O AUMENTO POPULACIONAL PRODUZIRÁ ATÉ 2050, UM CRESCIMENTO DE 35% DOS HABITANTES DO PLANETA, PORTANTO, NAQUELE ANO SEREMOS MAIS DE

9 BILHÕES

DE SERES HUMANOS A SEREM ALIMENTADOS.

Somente entre os anos de 2012 e 2014, constatou-se que havia 852 milhões de pessoas em estado crônico de subalimentação, a maioria delas em países pouco industrializados e onde a agricultura é de baixa tecnologia.

Segundo a FAO, a produção de alimentos precisará crescer 80% até 2050 para que o déficit na oferta seja zerado. Elevar em 80% a produção de alimentos, de maneira integrada, sustentável e com altíssima qualidade será o grande desafio.

A maior parte (95%) do crescimento na produção de alimentos virá com o aumento de produtividade nos 9% da área agricultável atualmente e somente 5% será advindo de incremento de área. Esse ganho de produtividade acontecerá por meio da inovação.

E COMO
FAREMOS ISSO?

Existem algumas saídas para elevar a segurança alimentar, como combater o desperdício de alimentos e promover o aumento exponencial na produtividade das lavouras.

Com base nos dados da FIESP, o Brasil continuará exercendo um papel fundamental na produção de alimentos, uma vez que é uma das poucas regiões em que ainda é possível aumentar a área agricultável. Além disso, constata que, na África Subsaariana, onde também há terras disponíveis para o crescimento da área agropecuária, devem ocorrer grandes reduções da produção devido ao aquecimento global. Portanto, a produção de alimentos do Brasil para as próximas décadas se torna ainda mais relevante.

O USO DE NOVAS TECNOLOGIAS DESEMPENHARÁ UM PAPEL FUNDAMENTAL PARA O AUMENTO NA PRODUTIVIDADE

Em termos de aumento na produtividade, o uso de novas tecnologias desempenhará um papel fundamental.
Tecnologias inovadoras como drones, satélites, estações meteorológicas e sensores inteligentes nas propriedades ajudarão a minimizar impactos ao meio ambiente, já que permitem a aplicação de produtos químicos apenas nas áreas afetadas e nos momentos certos.
A combinação de múltiplas tecnologias abrirá espaço para um uso mais inteligente e racional dos recursos naturais.

ADVERTÊNCIAS:

ATENÇÃO ESTE PRODUTO É PERIGOSO À SAÚDE HUMANA, ANIMAL E AO MEIO AMBIENTE; USO AGRÍCOLA; VENDA SOB RECEITUÁRIO AGRONÔMICO; CONSULTE SEMPRE UM AGRÔNOMO; INFORME-SE E REALIZE O MANEJO INTEGRADO DE PRAGAS; DESCARTE CORRETAMENTE AS EMBALAGENS E OS RESTOS DOS PRODUTOS; LEIA ATENTAMENTE E SIGA AS INSTRUÇÕES CONTIDAS NO RÓTULO, NA BULA E NA RECEITA; E UTILIZE OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL.